quarta-feira, 1 de março de 2023

Famílias já renegociaram quase 400 milhões em crédito à habitação

 


Pelo menos oito mil famílias já pediram aos bancos para renegociarem as condições dos empréstimos da casa devido a dificuldades financeiras. Reestruturações atingem os 400 milhões, revelou Medina.

Famílias e bancos já renegociaram quase 400 milhões de euros em créditos à habitação no âmbito das novas regras adotadas pelo Governo para aliviar o impacto da subida das taxas de juro na prestação da casa, segundo avançou o ministro das Finanças, Fernando Medina, no Parlamento.

Nos últimos meses, pelo menos oito mil famílias avançaram com pedidos aos bancos para reverem as condições dos empréstimos da casa devido a dificuldades financeiras por conta da subida das taxas que servem de base para o cálculo da prestação da casa, mas só uma pequena parte viu efetivamente os processos concluídos, de acordo com o balanço mais recente dos bancos. Ler mais

Tem algum destes telemóveis? A partir de hoje já não vai conseguir utilizar o WhatsApp

 

A partir de hoje a aplicação de mensagens e chamadas para smartphones WhatsApp, que pertence ao grupo Meta e tem mais de dois mil utilizadores, deixa de funcionar em 36 modelos de telemóveis, segundo a revista Semana.

As atualizações constantes fazem com que a aplicação adquira novas funcionalidades, deixando de ser possível adaptá-la a equipamentos com sistemas operativos antigos. Para quem tem telemóveis da marca Apple, deve verificar a compatibilidade com o sistema operativo iOS 12 ou mais recente para que seja possível atualizar a aplicação. Ler mais

90% da indemnização de Alexandra Reis deve voltar para a TAP. Mas quem vai assumir a responsabilidade de os pagar?

 

Segundo o relatório preliminar da IGF, a TAP deve receber de volta 443 500 euros, correspondentes a cerca de 90% da indemnização de Alexandra Reis. Mas não fica claro quem deve assumir o pagamento.

Escreve o Correio da Manhã esta quarta-feira, 1 de março, que a Inspeção-Geral de Finanças (IGF), após análise sobre a legalidade da indemnização de Alexandra Reis, considera que terão de ser devolvidos à TAP 443 500 euros.

Segundo a análise jurídica, escreve o matutino, "a compensação de 56 500 euros, relativa à cessação do contrato de trabalho como diretora da TAP, será válida, pelo que Alexandra Reis terá direito à verba; mas a compensação de 443 500 euros, referente à cessação de funções como administradora, será nula, pelo que não terá direito a esse valor e a TAP terá de ser ressarcida dele". Ler mais

 

Imprensa Escrita - 1-3-2023





 

The Digital Services Act – what next?

 


The coming weeks will be fundamental for the DSA to take shape, as the European Commission is working on secondary legislation to define critical provisions of the regulation, and large online platforms are taking their first steps toward compliance. EURACTIV caught up with Mathias Vermeulen, Public Policy Director at AWO, and Asha Allen, Advocacy Director in the Europe office of the Center for Democracy and Technology, to discuss some of the most crucial open questions on the DSA implementation. (...)

Diário de 1-3-2023

 


Diário da República n.º 43/2023, Série I de 2023-03-01

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Exoneração do Chefe do Estado-Maior do Exército e nomeação do Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Nomeação do Chefe do Estado-Maior do Exército e respetiva promoção

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

Autoriza o Governo a estabelecer regras de certificação das qualificações das pessoas que intervêm na operação de embarcações que navegam em vias interiores, para transposição das Diretivas (UE) 2017/2397, 2020/12 e 2021/1233

FINANÇAS E TRABALHO, SOLIDARIEDADE E SEGURANÇA SOCIAL

Aprova a regulamentação do Complemento Garantia para a Infância

Poder de compra. Famílias cortaram a fundo na comida que levam para casa

 

Investimento começou a vacilar na reta final de 2022 e inflação suavizou, menos no segmento alimentar, onde já supera os 20%, segundo os novos dados do INE.

As famílias residentes em Portugal foram reduziram de forma significativa (maior corte de que há registo) o volume de alimentos comprados em 2022, mas, no entanto, o valor da fatura dos lares com comida subiu a um ritmo recorde puxado pela inflação galopante e atingiu o maior valor das séries oficiais, indicou ontem o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Ou seja, há sinais inequívocos de que muitas famílias -- sobretudo as mais pobres, com menos rendimento disponível, e as mais vulneráveis à subida das taxas de juro porque têm dívidas bancárias a aumentar com o avanço das taxas de juro -- estão mesmo a cortar na alimentação para conseguir poupar mais um pouco. Ler mais

Diário de 26-2-2024

  Diário da República n.º 40/2024, Série I de 2024-02-26 Lei n.º 27/2024 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Alteração dos limites territoriais entre a...