segunda-feira, 12 de fevereiro de 2024

Casos de dengue poderão aumentar com viagens para o Brasil no Carnaval: urgências em Portugal devem preparar-se, alerta especialista

 
Os casos importados de dengue em Portugal vão “seguramente” aumentar por causa do Carnaval, frisou esta quinta-feira o infeciologista Jaime Nina, em declarações ao ‘Jornal de Notícias’, alertando que as urgências portuguesas devem estar preparadas para a afluência de pessoas oriundas de países tropicais, em particular do Brasil.

Recorde-se que o Rio de Janeiro está em estado de emergência devido ao elevado número de infeções – foram mais de 10 mil em janeiro. Em 2024, foram detetados, até ao passado dia 5, seis casos importados de dengue em Portugal.

Para o infeciologista, o Carnaval no Brasil pode contribuir para o aumento do número de casos. “Festeja-se na rua, de noite, com calor, e as pessoas andam com pouca roupa”, precisou. “Tornam-se um alvo muito fácil para os mosquitos” responsável pela transmissão do vírus – não há transmissão através do contacto com alguém infetado. Ler mais

Crianças sem telemóvel até aos 12 anos? Pais e escolas adotam medidas em todo o mundo

 

Depois de anos a apostar na integração do mundo digital nas escolas (e vice-versa) a UNESCO surpreendeu todo o mundo no ano passado com o pedido para “proibir os telemóveis” nas escolas. Têm crescido em todo o mundo e ganhado força, nesse sentido várias iniciativas para impedir que crianças com menos de 12 anos usem smartphones, e um projeto-piloto na Irlanda está a dar que falar.

A iniciativa partiu de pais de alunos de oito escolas primárias em Greystones, cidade costeira, com o objetivo de chamar a atenção para os efeitos nocivos da sobreexposição de menores de 12 anos a smartphones.

Em colaboração com as escolas, que proibiram telemóveis no recinto, os pais comprometeram-se a não fornecer os dispositivos aos filhos, pelo menos até estes completarem 12 anos. Ler mais

Imprensa Escrita - 12-2-2024





 

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2024

Nova associação defende multas para quem não aceitar pagamentos em dinheiro

 

A nova associação Denária Portugal, que tem como mandatário Mário Frota, presidente emérito da apDC -- Associação Portuguesa de Direito do Consumo, defende multas para as entidades que não aceitem pagamentos em numerário, segundo um comunicado.

 "A Denária Portugal (associação sem fins lucrativos) foi criada com o fim de defender o direito à utilização do numerário como meio de pagamento universalmente aceite", disse fonte oficial, questionada pela Lusa.

A missão desta organização "passa por prevenir e alertar para os riscos na limitação da sua utilização como forma de pagamento, acessível a todos os segmentos da população, nomeadamente os que necessitam de maior proteção como os mais velhos e os que têm algum tipo de incapacidade". Ler mais

‘Última chamada’: Prazo para validar faturas do IRS termina esta segunda-feira

  O prazo para a consulta, registo e confirmação das faturas às quais foi inserido o NIF e que vão ser usadas no cálculo das deduções ao i...